Cortiça

 
(CTT)
Evocação do Sector Cortiçeiro
Cortiça e sobreiro – símbolos nacionais
Cortiça. Dom da natureza. Património nacional. Embaixadora de Portugal.
A cortiça é a casca do sobreiro, um produto natural renovável, reciclável e bio degradável. A Quercus suber L., que a mãe natureza plantou essencialmente a sul de Portugal, dá corpo à identidade da paisagem alentejana. Lar de uma infindável variedade de espécies animais e vegetais, o montado de sobro, na sua multifuncionalidade, evita a desertificação do sul do país – região seca e de terrenos delgados – ao reduzir a erosão dos solos e ao contribuir de forma impar para a economia local. O montado e a cortiça que produz é, também, capaz de fixar o dióxido de carbono, o principal responsável pelo aquecimento global do planeta.
Preservado por reis e governantes, desde os primórdios da nação até aos dias de hoje, o sobreiro foi sempre protegido na legislação nacional. É nas cartas de D. Dinis, no século XIII, que surgem as primeiras referências ao sobreiro e à cortiça. Sendo a partir do século XIX que se inicia a exploração no montado como a conhecemos actualmente.
De aspecto rude, mas muito agradável ao tacto, a cortiça possui características únicas: leve, impermeável a líquidos e a gases, compressível, elástica, um excelente isolante térmico, acústico e vibrático, e resistente ao atrito. Capaz de servir para os mais variados fins, desde a construção à industria automóvel e aeronáutica, é na rolha de cortiça que encontra o seu produto mais conhecido.
Sem referirmos as ânforas de romanos e fenícios, que porventura teriam utilizado a cortiça como vedante, foi em França, com D. Pérignon, que começou por ser usada, de forma sistemática, para guardar o tão apreciado néctar. Mas foi em Portugal que encontrou a perícia e a sabedoria para a sua extracção e transformação. Por razões históricas ligadas à proximidade da produção do vinho do Porto, a indústria fixou-se, essencialmente, no Norte, mais especificamente no Distrito de Aveiro, região que, até aos nossos dias, é o centro mundial da transformação e comércio da cortiça.
Embaixadora de Portugal, a cortiça leva o nome do país aos cinco continentes e até ao espaço. Portugal é hoje o líder mundial na produção, transformação e exportação da cortiça. Liderança que colocou Portugal na vanguarda do conhecimento e investigação em cortiça e, ao mesmo tempo, lhe incutiu a responsabilidade na protecção e promoção deste nobre produto da floresta mediterrânica.
A cortiça e o sobreiro já inspiraram livros, poemas, canções, moda, design e joalharia. Fazem parte da cultura portuguesa. Um sinónimo agora encerrado num selo de prestígio. Um selo de cortiça, a pele do sobreiro.

Lisboa, 26 de Setembro de 2007
Jaime Gama
Presidente da Assembleia da República

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s